Os 152 postos e outros cinco anexos de saúde de Belo Horizonte começam a ser patrulhados por guardas municipais a partir desta terça-feira (19). A nova etapa do programa “Patrulha SUS” foi anunciada nesta tarde pela prefeitura e já está em ação. São 80 guardas que, com 40 motocicletas e atuando sempre em dupla, farão monitoramentos todos os dias, por 12 horas. Durante o período noturno, o policiamento será feito com rondas em viaturas oficiais da Guarda Municipal. Nesse horário, câmeras de vigilância também vão auxiliar no monitoramento.

A ideia, segundo o secretário municipal de Saúde, Jackson Machado, é inibir ocorrências de delitos durante o atendimento nas unidades de saúde. “Muitos casos de ameaças, pequenos furtos e até agressões a funcionários de saúde haviam sido relatados. A presença da guarda vem trazer mais tranquilidade aos atendimentos”, comentou.

O prefeito Alexandre Kalil (PHS), que sempre foi contra a retirada de guardas das ruas para os postos, diz que agora isso pode ser feito. "Com o incremento de mais 500 homens da Guarda (Municipal), com a inteligência da Secretaria de Saúde com a Secretaria de Segurança, isso agora se torna possível", afirmou.

Rede

O secretário de Saúde explicou que, nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e nos hospitais da cidade, não será necessária a intervenção do Patrulha SUS, pois esses locais já contam com contratos diferentes de segurança. As UPAS, por exemplo, já possuem guardas e funcionam 24 horas.

Com o monitoramento dos centros de saúde, a ideia é que toda a rede SUS da cidade seja patrulhada. Os guardas não ficarão apenas nas motos, informou o comandante Rodrigo Prates, da Guarda Municipal.

“Essas equipes estarão distribuídas de forma equânime nas nove regionais e em todos os postos de saúde”, disse. “O que a gente pretende, além de ter um patrulhamento nos centros de saúde, é ter um patrulhamento preventivo nas imediações”, completou.

Leia mais:
Guarda Municipal tem frota aumentada e renovada em BH
Centro de Saúde do Tirol é arrombado e fica sem energia; alguns serviços estão suspensos
Mais um posto de saúde é arrombado em Belo Horizonte