A primeira coleta de plasma para o estudo desenvolvido por pesquisadores da Fundação Hemominas, com o objetivo de ajudar na recuperação de pacientes internados por Covid-19, foi realizada nesta sexta-feira (5). O voluntário é um homem de 32 anos e a previsão é que, na próxima semana, o sangue dele já esteja disponível para ser usado em pacientes internados.

Esse tipo de tratamento médico já foi utilizado em outros surtos de doença infecciosas, como o Ebola e o H1N1. O estudo que vai ser feito pela fundação pode mostrar se a técnica também tem efeito positivo nos pacientes que estão internados nos hospitais por causa da Covid-19. E para a pesquisa ser feita, os médicos precisam da doação de sangue de, pelos menos, 30 voluntários.

Hemominas coleta sangue de doador para estudo da Covid 19
Hemominas recebe primeiro voluntário de doação de plasma para tratamento da covid-19

A presidente da Hemominas, a médica hematologista Júnia Cioffi, aposta na solidariedade dos mineiros. “Para obter o plasma necessário para o estudo é preciso que aqueles que já se curaram da infecção e foram liberados do isolamento obrigatório estejam dispostos a participar do processo e ceder o sangue”.

Para participar, o doador precisa ser do sexo masculino; ter entre 18 e 60 anos; ter um resultado de PCR positivo para SARS-Cov-2 (novo coronavírus); não apresentar sintomas da Covid-19 há, pelo menos, 14 dias; já ter sido liberado do isolamento obrigatório pelo médico; e estar apto, segundo os demais critérios de doação regular de sangue.

Os voluntários que se enquadrarem nos quesitos devem agendar a doação de plasma no Serviço de Aférese do Hemocentro de Belo Horizonte pelo telefone (31) 3768-4524, nos seguintes dias e horários: segunda a quinta-feira, das 7h às 18h; e sexta-feira, das 7h às 12h.

O estudo “Imunoterapia passiva como alternativa terapêutica de tratamento de pacientes com a forma grave de Covid-19” foi autorizado pelo Conselho Nacional de Ética em Pesquisa (Conep).

O projeto é coordenado pelo médico hematologista da Fundação Hemominas Marcelo Froes e realizado em parceria com a Fundação Hospitalar de Minas Gerais (Fhemig), por meio do Hospital Eduardo de Menezes e a Universidade Federal de Minas Gerais.