Os estoques de sangue no Hemominas estão, em média, 50% abaixo do ideal. A situação crítica atinge praticamente todos os tipos sanguíneos. De acordo com a fundação, o centro já passou por períodos com diminuição de doadores, mas a pandemia de Covid-19 levou a crise a novo patamar.

"Nós já tivemos momentos críticos em outras situações, mas jamais por um tempo tão prolongado", afirmou Viviane Guerra, gerente de Captação e Cadastro de Doadores do Hemominas.

Segundo ela, os estoques dos tipos sanguíneos O positivo, O negativo e A positivo encontram-se em estado crítico em toda a rede. Já a reserva do tipo O positivo caiu 60%. Apenas o tipo sanguíneo AB positivo encontra-se em situação estável.

Apelo

Nesta quarta-feira (16), o governo de Minas fez um apelo aos cidadãos sobre a importância e a segurança de doar o material mesmo durante a epidemia de coronavírus.

Conforme o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, a necessidade de sangue é maior durante o período, em que há muitos doentes, e os estoques do material precisam ser repostos com frequência.

"A reposição do estoque do Hemominas é a doação, ou seja, o gesto de solidariedade de cada um dos mineiros. Quem pode doar sangue, que faça, nós precisamos muito. Essa solidariedade salva vidas", declarou. Segundo Amaral, o Hemominas faz um trabalho "exemplar" na gestão de sangue no Estado. 

Doação na pandemia

A doação é segura durante a pandemia de Covid-19. Segundo o Hemominas, a fundação segue uma série de procedimentos de prevenção para que os doadores se sintam seguros ao entrar na instituição e fazer a doação de sangue.

Entre os cuidados adotados, está o agendamento do horário para doação; o uso obrigatório de máscaras; a utilização do álcool gel ou líquido 70% para higienização das mãos; e a reorganização das salas de espera e de coleta de sangue das unidades, garantindo um distanciamento mínimo de 1 metro entre os doadores.

Segundo o centro, a ressalva é para candidatos à doação de sangue que foram infectados pelo coronavírus e tiveram diagnóstico clínico e/ou laboratorial. Os doentes assintomáticos e sem sequelas que contraindiquem a doação ficam inaptos para doar por 30 dias após a completa recuperação.

Já candidatos que tiveram contato com pessoas que apresentaram diagnóstico clínico e/ou laboratorial de infecção pela Covid-19 são considerados inaptos a doar pelo período de 14 dias, após o último contato com essas pessoas.

Segundo a instituição, as doações devem ser agendadas on-line ou pelo MGapp - Cidadão. "Em caso de não comparecimento, solicita-se cancelar o agendamento para disponibilizar o horário a outro candidato", informou a fundação, em nota.

Os endereços e horários de atendimento das unidades Hemominas em todo o Estado podem ser vistos aqui.