A redação do Hoje em Dia foi surpreendida nesta sexta-feira (11) ao receber do leitor Stephano Fárias, por meio do WhatsApp, a foto de uma lhama pastando em uma rua da capital. "Pensei que tivesse sonhando, até porque não é todo dia que se vê uma lhama na rua", contou.

A reportagem resolveu tentar descobrir a história da mais famosa (até porque pode ser a única) lhama de Belo Horizonte e saber como o animal, natural da região da Cordilheira dos Andes, veio parar do outro lado do continente.

 

 

A lhama, naturalmente, já não estava no local da foto. A esperança passou a ser os moradores próximos à avenida Paulo Piedade Campos, no bairro Estoril. É natural imaginar que um animal desse não passaria despercebido da população.

Depois de questionarmos algumas pessoas sem sucesso, uma pista concreta enfim: "É aquele 'camelo' que anda com um homem? Ele fica na esquina de baixo", sintetizou um jovem.

Foi assim que encontramos o animal, que pertence a Elias Marques, dono de um terreno onde funciona um colégio. Lá, a lhama, que não tem nome, tem a companhia de porcos, galos, coelhos e cavalos. Na época de férias, os animais são soltos para ficarem livremente pelo local.

Elias contou que adquiriu a espécie há três meses de um criador de animais exóticos que mora, segundo ele, na região da Pampulha. Ele acredita que a lhama já tenha nascido em cativeiro.  

Perguntado sobre o comportamento da lhama, Elias falou que é bem fácil manter a amizade com o animal. "O educador tem que viver no mundo da lhama para entender os seus desejos", disse.

A alimentação do animal é bem parecida com a de um cavalo: ração e capim, três vezes ao dia. De vez em quando, Elias pede para que um auxiliar leve a lhama para um terreno ao lado para se alimentar de grama - situação flagrada pelo Stephano.

Origem

Lhama é um animal da cordilheira dos Andes, e cerca de quatro anos atrás foi importado para o Brasil, hoje em dia, é possível ver com mais frequência no país. Em países como Peru, Bolívia, Chile e Equador é considerado um animal doméstico, principalmente pelos povos que vivem na montanha. è fonte de carne, leite e seu pelo ainda é usado para confeccionar roupas.

Autorização

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) explicou que qualquer pessoa pode criar lhama, desde que tenha feito a compra de uma pessoa autorizada, mediante nota fiscal.

O órgão, contudo, informou que não ser responsável por animais de criadouro e, por isso, não tem estatísticas de quantas lhamas são mantidas em BH.
Na Polícia Militar de Meio Ambiente ninguém foi encontrado para falar sobre o assunto.