Um representante comercial foi condenado a 19 anos e três meses de prisão por feminicídio em Raul Soares, na Zona da Mata. Ele é acusado de matar a facadas a ex-companheira em 15 de setembro de 2017. 

De acordo com Ministério Publico de Minas Gerais (MPMG), Larissa Caitano da Silva, de 21 anos, foi brutalmente morta por Cristiano Gualberto da Silva. O crime ocorreu após o réu não aceitar o fim do relacionamento. No julgamento realizado nessa segunda-feira (25), o réu chegou a afirmar que amava a ex-companheira que assassinou. 

Conforme o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), a sessão começou na segunda, mas a sentença só foi divulgada na tarde dessa terça (26). 

Em declaração ao final da sessão, a juíza Marié Verceses da Silva Maia afirmou: “Não é assim que se ama. Amar também é renúncia, é permitir que a pessoa amada siga seu rumo se a relação não mais lhe for conveniente".  

Ela ainda reforçou que as circunstâncias pesaram em desfavor de Cristiano, pois a vítima possuía medidas protetivas contra o representante comercial, que já havia agredido a jovem outras vezes.

*Colaborou Maiara Brito sob supervisão de Flávia Ivo