Um homem foi condenado a 21 anos, 1 mês e 15 dias de prisão pela morte da enteada, de 19 anos. A jovem foi assassinada em maio do ano passado, no Dia das Mães, no Morro do Papagaio, na região Centro-Sul de Belo Horizonte.

O julgamento foi na tarde desta quarta-feira (13), no Fórum Lafayette, e o juiz Daniel Leite Chaves baseou-se na decisão do conselho de sentença, formado por seis mulheres e um homem.

O promotor José Geraldo de Oliveira pediu condenação do acusado pelo crime de homicídio qualificado, com recurso que dificultou a defesa da vítima e ainda com o agravante de o crime ter sido praticado por razões da condição dela ser do sexo feminino.

A vítima foi morta pelo padrasto no último dia das mães. A jovem foi ferida com uma faca na região do pescoço e morreu na hora.

O padrasto foi preso dias após o assassinato e confessou o crime. Na época, o réu disse à polícia que cometeu o crime porque a jovem era muito rebelde e falava muitos palavrões. Segundo a Justiça, o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) "relata que o relacionamento entre o acusado e a vítima era conflituoso, posto que ela não aceitava as investidas sexuais, tendo por isso passado a residir com sua avó". Por isso, ele nutria um sentimento de vingança contra a enteada.

De acordo com a sentença, o réu segue preso no Presídio Inspetor José Martinho Drummond, em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, até a fase de recurso.