Um jovem foi condenado a 26 anos e três meses de prisão, em regime fechado, por matar a ex-namorada em Belo Horizonte. O crime de feminicídio foi em março de 2020, quando o casal tinha 20 anos, no bairro Vera Cruz, na região Leste da cidade.

A decisão do Conselho de Sentença do 3º Tribunal do Júri da capital também levou em consideração a tentativa de homicídio contra a mãe da vítima. De acordo com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), o réu apertou o gatilho com a arma apontada para a cabeça da ex-sogra, mas o tiro não saiu.

Segundo o Ministério Público (MP), os atos foram cometidos por motivos torpe, pois o homem tinha um sentimento de posse pela ex-namorada e não aceitava o término do relacionamento.

Um agravante para a condenação foi o uso de recurso que dificultou a defesa da vítima, que foi surpreendida a caminho do trabalho e atingida com três tiros.

Diante da juíza e do júri, o jovem foi interrogado e confessou os crimes, mas afirmou que não houve premeditação. Segundo ele, carregava a arma por sofrer ameaças. O réu afirmou não haver justificativa para seus atos e pediu desculpas à família da ex-namorada.

Conforme a decisão, o crime foi reconhecido como feminicídio por te sido cometido contra a mulher por razões da condição de sexo feminino, em contexto de violência doméstica e familiar, uma vez que o casal viveu uma relação conturbada e com agressões físicas por aproximadamente cinco anos. 

Leia mais:
Pais são indiciados pela morte da filha de 1 ano em Montes Claros
Três pessoas de uma mesma família morrem em acidente entre picape e carreta na BR-251
Brasil registra 169 casos da variante Delta, informa balanço do Ministério da Saúde