O inquérito policial sobre um homem que foi assassinado por engano, em Uberaba, no Triângulo Mineiro, foi concluído pela Polícia Civil. A vítima, de 57 anos, havia sido confundida com um homem que praticou ato obsceno direcionado à mulher do suspeito. Ele acabou sendo espancado e morreu no hospital. 

Segundo o delegado Cyro Outeiro, responsável pelo caso, o homem, que era casado, tinha filhos e era muito querido na região, acabou pagando pelo crime de outra pessoa. É que, certo dia, quando estava lavando o passeio de casa, a mulher do suspeito viu um homem em uma Saveiro branca parado em frente à casa dela, enquanto exibia o órgão genital. 

Ela contou para o marido que, no dia seguinte, pegou as imagens das câmeras de segurança com vizinhos e identificou o veículo. Porém, no dia do crime, a vítima havia pegado emprestada a Saveiro para fazer a mudança do filho. "Ele teria pegado a Saveiro emprestada, veículo já utilizado anteriormente pelo verdadeiro autor do ato obsceno", detalhou Outeiro.

Quando viram a vítima no carro, o suspeito e a mulher dele pediram que descesse do carro. O homem, então, passou a agredi-lo com chutes e socos até uma pessoa que passava pelo local interromper a ação. A vítima foi levada para o hospital com fraturas e traumas torácicos, e acabou morrendo na unidade. 

As investigações apontaram que o homem que fez atos obscenos para a mulher foi outra pessoa, com características físicas muito diferentes. O suspeito do assassinato foi indiciado por homicídio qualificado por meio cruel, enquanto o dono do carro vai responder por ato obsceno.

Leia mais:
Quadrilha que armou emboscada para matar homem que roubou drogas é presa
Dupla que atirou em mulher no Mangabeiras é detida após arrastão na Zona Sul de BH
Ex-presidente da Câmara é preso 19 anos depois por mandar matar prefeita de Nacip Raydan