Um homem foi preso suspeito de matar uma mulher e tentar incendiar um apartamento no bairro Camargos, na região Noroeste de Belo Horizonte, nesta terça-feira (24).

De acordo com a Polícia Militar, um funcionário do condomínio acionou a corporação, por volta das 11h20, após ouvir um estrondo no primeiro andar de um dos blocos. Ele foi até o local, abriu a unidade e encontrou o morador sentado em cima da vítima, de identidade ainda desconhecida.

Ainda conforme relato do trabalhador à corporação, o suspeito disse que um botijão de gás havia estourado. No entanto, em seguida, ele assumiu que havia matado a mulher. Após a chegada dos militares, o homem, ferido pelo fogo, foi levado pela polícia à Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Oeste, em BH. Ele foi medicado e liberado, e seguiu para a Deplan 3, na mesma região.

O Corpo de Bombeiros também atuou na ocorrência. A perícia ainda é aguardada para os trabalhos de investigação e retirada do corpo da vítima. A Defesa Civil de BH informou que não foi acionada para avaliação de danos estruturais na residência.

camargos

Caso foi registrado em condomínio do Camargos

Assustada

A vizinha do andar de cima do suspeito, uma estudante de 25 anos, disse ao Hoje em Dia que estava realizando tarefas em casa quando ouviu um barulho alto no prédio. "Achei que fosse alguma reforma ou um vidro quebrando, mas logo veio um novo barulho, uma explosão. Parecia que estava caindo algo", contou.

Nesse momento, ela olhou pelo 'olho-mágico' da porta e percebeu que outro vizinho, também do andar, estava já do lado de fora e pedindo a todos os moradores que deixassem o prédio. Ela abriu as janelas e deixou o imóvel, assustada. A moradora ainda relatou que não ouviu gritos ou pedidos de socorro.

"Fiquei muito assustada, muito abalada. Principalmente por estar sozinha em casa e sentir o cheiro muito forte de gás. Fiquei com medo de que (a explosão) pudesse causar danos ao bloco inteiro", completou.

Conforme outros moradores, o homem estava morando sozinho na residência após ter se separado da esposa. Ainda não há informações se a mulher assassinada é a ex-companheira, ou outra pessoa.

Leia mais:
Variante Delta do coronavírus já matou duas pessoas em Minas
Aras diz cumprir compromisso de respeitar a separação entre os poderes
Sobem para 91 os casos prováveis e suspeitos da variante Delta do coronavírus em Minas