Um homem de 43 anos foi acusado injustramente de furtar alimentos em um supermercado do bairro Floresta, na região Leste de Belo Horizonte, na manhã deste sábado (28). Diante da situação, que ele considerou humilhante, ele resolveu acionar a Polícia Militar (PM). O homem, que realmente tinha algumas coisas no bolso da jaqueta, apresentou nota fiscal dos itens. 

A polícia foi acionada no estabelecimento, localizado na avenida do Contorno, por volta das 7h45. O homem contou que chegou ao local cerca de 15 minutos antes para comprar alguns produtos e que, durante toda a sua estadia, foi observado pela fiscal a cada corredor em que se deslocava.

Quando ele deixava a loja, foi abordado pelos seguranças, que questionaram o volume dos bolsos e o acusaram de ter pegado uma caixinha de achocolatado. Contrangido ao ser solicitado que esvaziasse os bolsos e por não ter aprovado a abordagem brusca da fiscal, ele resolveu então ligar para a PM. 

Outro lado

Já na versão da fiscal, de 42 anos, ela viu um homem em atitude suspeita e com os bolsos cheios, quando comunicou o fiscal que ficava na saída da loja para abordá-lo. Eles questionaram então a procedência de um pacote de biscoito que estava com ele, sendo que, ainda na versão da funcionária do supermercado, o homem não cooperou e se negou a esvaziar os bolsos, dizendo que só o faria na frente do gerente e das câmeras de filmagem. 

A mulher disse ainda que "em momento nenhum ele foi  tratado de forma agressiva, visto que a ação se pautor em procedimento de segurança interna, sem excesso e total respeito com o abordado". 

Por fim, todos os envolvidos foram levados para a Delegacia de Plantão (Deplan) 1, também no bairro Floresta. 

Leia mais:
Ministério Público abre inquérito para apurar tortura em supermercado
Ex-candidato a vereador é preso suspeito de roubar supermercado em Lagoa Santa
Polícia indicia segurança acusado de sufocamento em supermercado
Carrefour vai pagar R$ 1 milhão pela morte de cão em loja de Osasco