Foram presos, nesta quarta-feira (26), em Uberaba, no Triângulo Mineiro, dois irmãos suspeitos de matar a universitária Jaquelaine Arruda Mamede, de 30 anos. De acordo com a delegado João Francisco, um dos responsáveis pelo caso, os gêmeos André Inácio Albuquerque e Anderson Inácio Albuquerque foram presos em casa. Como André confessou ter assassinado a jovem sozinho, Anderson foi liberado em seguida.  
 
Jaquelaine era estudante do primeiro ano de Jornalismo e garota de programa. Ela foi assassinada com um tiro na cabeça, em julho deste ano. O corpo foi encontrado com sinais de violência e queimaduras.
 
De acordo com o delegado, André e Jaquelaine tiveram um desentendimento, sendo essa a motivação do crime. “André saiu com Jaquelaine e, depois, ela começou a cobrá-lo pelo programa. Ele alegou ter se sentido ameaçado e, então, a matou”, afirmou João Francisco.
 
Relembre o caso
O corpo de Jaquelaine foi encontrado, em 20 de julho, após ficar por três dias desaparecida, em um canavial, em Uberaba, no Triângulo Mineiro. 
 
A Polícia Civil (PC) informou que o carro da vítima foi encontrado em 17 de julho, no bairro Antônia Cândido. Dentro do veículo, haviam documentos e objetos pessoais da jovem. Somente no dia seguinte, em 18 de julho, os familiares acionaram a polícia para informar sobre o desaparecimento da estudante. 
 
No dia 20 de julho, a Polícia Militar (PM) foi chamada por alguns cortadores de cana, pois haviam encontrado o corpo de uma mulher com as mesmas características de Jaquelaine no canavial, próximo a uma usina na região rural do município.
 
Os delegados João Francisco e Ciro Outeiro, responsáveis pelas investigações do caso, foram até o canavial e constataram que se tratava da estudante, o que foi confirmado por familiares que fizeram o reconhecimento. O corpo de Jaquelaine foi encontrado com sinais de violência e queimaduras, possivelmente, resultado de um incêndio. A necropsia feita na vítima concluiu, porém, que ela foi morta com um tiro na cabeça, sendo que a bala ficou alojada no crânio. 
 
Na época do crime, nenhum suspeito havia sido localizado. Após quatro meses de investigação, a Polícia Civil chegou a conclusão que dois irmãos gêmeos poderiam ser os autores do homicídio. Um deles, André Inácio Albuquerque, foi preso em casa, em Uberaba, e confessou o assassinato, nesta quarta-feira (26).