A Polícia Militar prendeu o suspeito de atacar o candidato Jair Bolsonaro (PSL), durante uma caminhada em Juiz de Fora, na Zona da Mata, nesta quinta-feira (06). Adelio Bispo de Oliveira, de 40 anos, foi levado para a sede da Polícia Federal na cidade.

Segundo o boletim de ocorrência da PM, o autor deu explicações sobre como planejou o ataque. “Este nos informou que saiu de casa com uma faca de uso pessoal afim (sic) de acompanhar a comitiva, e no melhor momento pudesse tentar contra a vida do candidato, assim tendo feito no momento em que a comitiva passava pela rua Batista, por achar ser o mais oportuno. Nos afirmou ainda que o motivo do intento se deu por motivos pessoais, os quais não iríamos entender, dizendo também em certos momentos que foi a mando de Deus”, disse. 

Veja o vídeo do suspeito:

 

 

faca

A faca que teria sido usada como arma do crime

“Esse tipo de ataque é sui generis aqui no Brasil. Não estamos acostumados com esse perfil de infrator que entra no meio da multidão, se passa por eleitor e tenta matar o candidato. Isso nos leva a adotar outros tipos de protocolo”, explica o major Flávio Santiago, chefe da sala de imprensa da Polícia Militar.

Ainda segundo o major Santiago, neste tipo de evento, os candidatos se misturam aos apoiadores e contam com o trabalho de seguranças particulares. "A PM apenas acompanha e dá suporte para evitar possíveis distúrbios de grupos antagônicos. Ele invadiu esse perímetro de segurança e cometeu um crime”, concluiu o major. O suspeito pode ser indiciado por tentativa de homicídio.  

Em nota, a Polícia Federal informou que foi instaurado inquérito policial para apurar as circunstâncias do fato. O comunicado esclarece ainda “que o candidato contava com a escolta de policiais federais quando foi atingido por uma faca durante um ato público na cidade de Juiz de Fora/MG”.

Veja o vídeo do ataque:

Bolsonaro levou uma facada na região da barriga durante um ato de campanha por volta das 15h40. Ele foi levado para o hospital para atendimento médico.

Adélio Bispo no Facebook

Adelio Bispo de Oliveira mantém perfil no Facebook. Na página, ele indica que é solteiro e morador de Montes Claros, no Norte de Minas. Adélio não deixa clara sua posição política, mas fez postagens que criticam o candidato Jair Bolsonaro e compartilha sites de esquerda. 

Em um desses posts, ele chama Ana Amélia, senadora do PP, e candidata à vice-presidente de Geraldo Alckmin (PSDB), de 'ladra' ao compartilhar uma notícia do site 'Esquerda Diário'.

print

 

Ele também compartilhou um vídeo em que o ator Alexandre Frota é supostamente expulso da Câmara de Sorocaba. No Facebook, o suspeito afirma ser contra o ator como possível Ministro da Cultura em um governo de Bolsonaro. 

Ainda na plataforma, o homem que esfaqueou Bolsonaro deixou uma frase sobre a Justiça: "Não Importa Em Que Partido Tu Militas, Nem A Ideologia Que Acreditas Ou Fé Que Tu Praticas, Se Você Tens Prazer No Triunfo Da Justiça Então Somos Irmãos!!!". 

Ele também faz citações sobre a maçonaria e o comunismo. 

Leia mais:

Políticos e personalidades repercutem atentado contra Bolsonaro nas redes sociais
Deputado mineiro que acompanhava Bolsonaro diz que ação foi rápida e candidato se recupera bem
Bolsonaro é esfaqueado em calçadão de Juiz de Fora; veja vídeo