O homem acusado de matar uma advogada no bairro Betânia, na região Oeste de Belo Horizonte, em julho de 2018, será julgado por um Tribunal do Júri nesta sexta-feira (14), no Fórum Lafayette. O réu confessou ter matado a facadas a ex-companheira, Monalisa Camila da Silva, de 35 anos.

Ele responde por homicídio qualificado por motivo torpe, asfixia e tortura, uso de recurso que dificultou defesa da vítima e feminicídio.

Monalisa e o acusado viveram juntos por 15 anos e estavam separados há mais de um mês antes do feminicídio. A vítima vinha sendo ameaçada por ele e, inclusive, tinha uma medida protetiva.

Na noite anterior à morte, ela chegou a trocar mensagens com um familiar em que dizia temer o homem e que já tinha até escondido as facas da casa, mas que iria ajudá-lo a arrumar um emprego.