O 2º Tribunal do Júri de Belo Horizonte condenou a 28 anos e 5 meses de prisão em regime fechado, o homem que estuprou e matou uma jovem em 2016, na Grande BH.

Ele foi sentenciado nesta sexta-feira (14) pelos crimes de estupro, homicídio qualificado (por dificultar a defesa da vítima e para assegurar ocultação de outro crime) e destruição de cadáver. O réu, que já está preso, é considerado de alta periculosidade e por isso vai aguardar possíveis recursos na penitenciária. 

O julgamento foi presidido pelo juiz Alexandre Cardoso Bandeira. “O réu possui inegável desvio de personalidade, o que se verifica pela frieza com que se portara durante o interrogatório e, ainda, pela própria peculiaridade do crime, onde a vítima fora estuprada, morta e tivera seu rosto desfigurado. Digno de nota, também, o fato de que o acusado já responde a outro processo pelo crime de estupro, praticado com o mesmo modus operandi”, explicou o magistrado.

De acordo com o Ministério Público, na madrugada do dia 6 de março de 2016, o réu estuprou e matou a vítima em Contagem e levou o corpo dela até uma estrada de terra do bairro Petrovale, em Betim. O corpo da mulher foi encontrado nu, com o rosto queimado.

O condenado era amigo do namorado da vítima. Na noite anterior ao crime, eles estavam na casa dele e, durante a madrugada, os três saíram para comprar drogas no aglomerado Cabana do Pai Tomás, na região Oeste de BH. Já no aglomerado, o namorado da vítima desceu do carro e, antes que voltasse, o homem arrancou o carro, retornando com a mulher para o bairro, onde praticou o crime.