A Justiça condenou a 15 anos de prisão, em regime fechado, um homem que matou a ex-mulher com três tiros na cabeça, em Careaçu, no Sul de Minas. A decisão é da 6ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) e foi divulgada nesta sexta-feira (11).

Segundo o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), réu e vítima foram casados por cerca de 19 anos, tiveram dois filhos e estavam separados há dois anos, período marcado por registros de violência doméstica.

Na noite de 8 de fevereiro de 2017, ele estava armado e obrigou a ex-mulher a ir até a casa dela para pegar algo e depois irem até a casa dele, onde ele teria alegado que arrumaria as malas para ir embora da cidade. Na casa da vítima, ele ficou contrariado com a tentativa da mulher em convencê-lo a ficar no local e atirou na cabeça dela.

Levado a júri popular, o homem foi condenado a 24 anos pelo Conselho de Sentença da Comarca de São Gonçalo do Sapucaí. A defesa recorreu e pediu a redução da pena, com o reconhecimento do atenuante da confissão espontânea e a eliminação de qualificadoras não discutidas durante o julgamento.

Em depoimento, uma filha do casal disse que o réu sempre ia à casa onde viviam para agredir a ex-mulher. Em um dos episódios narrados, ela contou que o pai chegou à janela da cozinha quando a mãe e os filhos jantavam, pedindo um prato de comida.

Segundo a filha, quando a mãe se levantou para atender o pedido, o pai pulou a janela e puxou a ex pelo cabelo. "Jogou ela no chão e foi pra cima dela, deu um murro no nariz dela, e eu e meu irmão seguramos ele e gritamos", relatou.

Leia mais:
Justiça condena policial militar por morte de motociclista no Vale do Jequitinhonha
Mãe que abandonou recém-nascido em lixo de BH é condenada a 10 anos de prisão