Um homem que matou uma colega de trabalho por dívida de R$ 500 foi condenado a 17 anos de prisão em julgamento na última semana. O caso aconteceu na área rural de Contagem, na Grande BH.

No interrogatório em juízo, o acusado permaneceu em silêncio, mas, de acordo com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), ele confessou ter matado a vítima porque ela lhe devia o dinheiro.

Na madrugada de 2 de agosto de 2018, o homem contou que saiu de casa para o trabalho e, no caminho, ofereceu carona para a colega. Perguntou sobre a dívida a ela, que respondeu que não conseguiria pagá-lo naqueles dias. Ele ficou extremamente nervoso, parou o carro, deu alguns socos nela e mandou que saísse do veículo. Fora do automóvel, ele bateu na colega novamente e a mulher desmaiou. 

Em seguida, ele a arrastou para o mato, pegou uma pedra grande, acertando a cabeça da vítima duas vezes. "Eu levantei a pedra com as duas mãos e, como era muito pesada, eu soltei no alto e acertou a nuca dela, porque ela caiu de rosto para o chão quando eu a arrastei", disse. 

O acusado ainda contou que o sangue espirrou na sua roupa e ele teve de voltar em casa para tomar banho e se trocar. Depois foi para o centro de distribuição de uma rede farmacêutica, onde trabalhavam. Ele furtou da vítima documentos, aliança de casamento, telefone celular e outros objetos.

Na acusação, consta que o homem é dotado de baixa tolerância a frustrações e aficionado jogador do game virtual Criminal Case.