A Polícia Civil de Minas Gerais prendeu, na cidade de Goiatuba (Goiás), um homem de 40 anos que é suspeito de aplicar golpes ao se identificar como investigador de polícia da Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) de Uberlândia. A prisão aconteceu nesta terça-feira (21).

De acordo com a investigação, o homem apresentava-se com distintivo e carteira funcional, oferecendo serviços e afirmando preferência na arrematação de veículos em leilão, baixa em multas e inclusão de categoria na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

O suspeito teria agendado, com as vítimas, encontros na Ciretran de Uberlândia como forma de dar maior aspecto de veracidade e legalidade à conduta. "Ao aplicar os golpes, o acusado chegou a agendar com as vítimas dia e horário para que eles comparecessem ao Detran uberlandense para retirar os documentos requeridos e fazer a colega das digitais. Dias antes da data combinada com as vítimas, ele desapareceu", afirmou a delegada Juliana Machado Acipreste, que comandou a prisão no Estado vizinho.

A polícia começou a investigar o suspeito depois que uma mulher, que se identificou como namorada dele, apareceu no Núcleo de Corregedoria da Polícia Civil solicitando informações sobre o homem, acreditando que ele realmente fosse investigador.

Depois disso, descobriu-se que o mesmo golpe já havia sido aplicado em outras cidades, como São Paulo e Senhora do Porto, no Vale do Rio Doce – onde ele teria cobrado R$ 3 mil de uma vítima para “retirar” um veículo apreendido no pátio.