O tribunal do Júri condenou a dez anos de prisão, em regime inicial fechado, um homem que tentou matar a ex-companheira na frente dos três filhos em Juiz de Fora, na Zona da Mata. O resultado do julgamento, que aconteceu no último dia 7 de agosto, foi divulgado pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) nesta terça-feira (13). 

O crime aconteceu na madrugada do dia 11 de março de 2018, durante uma festa na casa da família. De acordo com a denúncia feita pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), o homem esfaqueou a ex-mulher, com quem mateve um relacionamento por 17 anos, duas vezes. O casal se separou por conta da infidelidade agressividade e ciúmes do réu e, também,  pelo uso excessivo de álcool por ele, que não aceitou o término.

"No dia do crime, ainda de acordo com a denúncia, o réu enviou mensagens de texto à vítima, com ameaças, e disse a um dos filhos que a mataria. A mulher foi golpeada pelas costas e as agressões só foram interrompidas porque os filhos e convidados intervieram", lembra o tribunal. 

Sentença 

Durante o Júri, o Conselho de Sentença considerou o homem culpado da tentativa de homicídio, com a qualificadora de recurso que dificultou a defesa da vítima, em fatos que constituem feminicídio.

Ao fixar a pena, o juiz Paulo Tristão Machado Júnior, que presidiu o julgamento, considerou a confissão do réu, o fato de ele não ter antecedentes criminais e de a vítima ter sido golpeada pelas costas e na presença de várias pessoas, entre elas, os filhos menores do casal. Não foi concedido ao réu o direito de recorrer em liberdade.

Leia mais:
Microempresário é preso com a arma que teria sido usada no assassinato de mãe e filho em BH
Suspeito de matar mulher e 'concretar' corpo em obra no Espírito Santo é preso em BH
Mulher morre após ser esfaqueada e queimada em Matozinhos; ex-namorado é o principal suspeito
Economista que matou ex-mulher a facadas é condenado a 30 anos de prisão