Após 108 dias do rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, famílias ainda aguardam pelos corpos de 32 vítimas desaparecidas na tragédia, que já deixou 238 mortos.

No Dia das Mães, o heroico trabalho do Corpo de Bombeiros, que não teve trégua nestes quase quatro meses, ganhou mais um capítulo. Numa mistura de sentimentos como dor e reconhecimento as buscas deste domingo (12) foram precedidas por homenagens na Base Bravo, ponto de partida de todos os dias para tentar devolver às famílias, os corpos de quem perdeu a vida em meio ao mar de lama.

Antes do lançamento dos 161 militares, uma pausa para que três mães que perderam filhos na tragédia, três mães de bombeiros e duas bombeiras recebessem buquês de flores. Elas também participaram do hasteamento da bandeira nacional. Em seguida todos fizeram uma oração. 

O rompimento da barragem da Mina do Feijão foi por volta das 13h do dia 25 de janeiro. Os rejeitos atingiram a área administrativa da mineradora, incluindo o refeitório, o prédio administrativo e parte da comunidade da Vila Ferteco.