A horta no entorno do Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp) Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, produziu desde que foi criada, há sete meses, aproximadamente 300 kg de verduras, legumes, plantas medicinais e até sementes de girassol. 

O espaço, conforme a Secretaria Estadual de Defesa Social (Seds), é cuidado por dois agentes penitenciários e quatro detentos do regime semiaberto. Toda a produção é doada para servidores e instituições de assistência social da região.
 
Segundo a diretora de Atendimento do Ceresp, Tatiane Costa, a horta representa para os detentos uma perspectiva de futuro fora do ambiente prisional. "Nosso intuito é o de ampliar esse tipo de ação, com apoio de uma equipe multidisciplinar, para cumprir o papel ressocializador do Estado", explica.

Entre os legumes e verduras plantados no local estão repolho, cebolinha, alface, tomate, couve, mandioca, brócolis e ora-pro-nobis e a produção não leva agrotóxico.