O aumento dos casos de Covid-19 leva hospitais de Belo Horizonte a suspender cirurgias eletivas, novamente. De acordo com as unidades, das redes pública e particular, nos últimos dias, houve crescimento nos atendimentos e nas internações relativos ao novo coronavírus. Os procedimentos do tipo já foram interrompidos no Sistema Único de Saúde (SUS) da capital, confirmou a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA).

Na rede privada, a Unimed BH enviou comunicado aos colaboradores informando a suspensão, desde essa sexta-feira (20), de operações não urgentes no Hospital da Unimed, na avenida do Contorno, Centro-Sul da capital, e também na unidade de Betim. Ao Hoje em Dia, a empresa confirmou, em nota, que a medida que prevalecerá até 27 de novembro.

"A cooperativa recomenda que, antes de se deslocar para as unidades de Pronto Atendimento, os clientes utilizem o serviço de Consulta Online Coronavírus ou que seja feito um contato com seu médico de referência", salienta a empresa. De acordo com o texto, a Unimed BH teria ampliado a equipe de teleconsulta, opção que "contribui para diminuir a propagação do vírus, evita o aumento do tempo de espera e garante maior segurança aos clientes", observa.

Nas demais unidades, a recomendação é para que a realização das cirurgias eletivas seja avaliada de forma cuidadosa e criteriosa. Com a suspensão, segundo o informativo, será iniciado o remanejamento de leitos com priorização para a área Covid-19.    

SUS-BH

A decisão de suspender os procedimentos eletivos no SUS-BH, assim como ocorreu em julho, também foi informada na sexta. Conforme o comunicado, cerca de 22 mil pessoas – residentes em Belo Horizonte e nos mais de 500 municípios atendidos por meio de convênio - estão cadastradas na central de internação da secretaria para a realização de procedimentos em 18 especialidades. 

A secretaria também esclareceu que, de janeiro e agosto deste ano, foram realizadas 14,6 mil operações e que, mesmo com a recomendação do Ministério da Saúde, a cidade optou por manter o serviço na rede em número reduzido, dando prioridade para os casos em que a espera pela cirurgia representava um risco maior do que uma possível infecção pelo coronavírus.

A reportagem tentou contato com a associação e o sindicato dos hospitais, com clínicas e casas de saúde de Minas (Central dos Hospitais), mas não conseguiu localizar representantes das entidades.

Balanço

Belo Horizonte tem 52.352 casos confirmados pela doença desde o início da pandemia, até essa sexta-feira. Também foram registradas 1.610 mortes pela Covid até o momento, 13 a mais do que o boletim de quinta-feira. Há ainda 95 óbitos sendo investigados. O número médio de transmissão por infectado (Rt) está em 1,09. Isso quer dizer que, em média, 100 infectados transmitem o novo coronavírus para 109 pessoas.

Leia mais:
Minas passa de 9,7 mil mortes por Covid-19; casos confirmados já são mais de 395 mil
Duas regiões mineiras passam a permitir apenas serviços essenciais a partir deste sábado
Hospitais de Minas voltam a preparar leitos para atender pacientes graves de Covid, diz médico