O Hospital Evangélico, no bairro Serra, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, vai suspender o atendimento a pacientes do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg), a partir da segunda-feira (15).

A assistência será mantida apenas para os casos de tratamento continuado e de pacientes que já estão internados na instituição.

A decisão foi confirmada pela direção do hospital nessa sexta-feira quinta-feira (12), por causa de uma dívida de aproximadamente R$ 9 milhões do governo de Minas com a institução.

Em nota, o hospital esclarece que está sensibilizado com as dificuldades financeiras enfrentadas pelo Estado “mas que a situação perdura há mais de 12 meses e não tem condições financeiras de manter o atendimento sob pena de comprometer o hospital”. Ainda de acordo com o comunicado, a procura por assistência médica aumentou muito justamente em razão de outras instituições também terem cancelado o atendimento.

O Ipsemg explicou que a atual administração encontrou faturas em atrasos com instituições conveniadas de até sete meses. “Informamos ainda que os repasses ao Hospital Evangélico, bem como às demais instituições vinculadas ao Ipsemg, vêm sendo realizados de acordo com a disponibilidade financeira para garantir a continuidade do atendimento aos beneficiários, não só em Belo Horizonte, mas em todo o estado”.

O instituto diz ainda que vai se reunir com os gestores do Hospital Evangélico nessa segunda-feira (15), para negociar a continuidade dos atendimentos.

Leia mais:
Estado começa a pagar em 2020 parte da dívida de R$ 13,3 bilhões com municípios
'O Estado está falido, mas os prefeitos não pagarão a conta', diz Zema
Zema cobra da Assembleia aprovação do regime de recuperação fiscal