O Hospital Público Veterinário de Belo Horizonte passará a funcionar na próxima terça-feira (9) no bairro Carlos Prates, na região Noroeste da capital. De acordo com a prefeitura, o espaço terá atendimento gratuito para cães e gatos de famílias que residem na cidade e não possuem condições de pagar tratamentos veterinários.

Entre os procedimentos, haverá atenção a casos de urgência, exames de imagem e laboratoriais, cirurgias e internação. O centro veterinário terá capacidade para receber 30 cães ou gatos por dia, sendo 27 atendimentos para animais da população de baixa renda e três para animais de protetores ou entidades de defesa do animal, que sejam situadas no município.

O projeto é uma parceria entre a PBH e a Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais – Seção São Paulo (Anclivepa-SP), organização da sociedade civil (OSC) que venceu o edital de Chamamento Público, publicado em maio do ano passado pela prefeitura (saiba mais no fim da matéria).

O hospital funcionará à rua Bom Sucesso, 731, no bairro Carlos Prates.

Atendimento

Conforme a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA), a população que necessitar de atendimento precisa levar Carteira de Identidade (RG), CPF e comprovante de residência em Belo Horizonte, além de inscrição no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico).

O hospital não ficará aberto ao público 24 horas. No período da noite, a instituição apenas fará a internação de animais e eventuais atendimentos de emergência, segundo a PBH. Veja os horários:

  • Segunda sexta, de 8h às 14h: novos casos, retornos e urgência
  • Segunda a sábado, de 14h às 20h: casos de cirurgias, mediante agendamento prévio.

De acordo com o gerente de Defesa dos Animais, Leonardo Maciel, o hospital trará vários benefícios sociais para a população, pois atua no controle de zoonoses, reduzindo a transmissão de doenças, e evita o abandono de animais, causando melhorias no trânsito com a redução de acidentes por atropelamento nas vias públicas.

horário

Clique para ampliar

Maciel explicou que a unidade não tem o objetivo de se tornar um centro de controle populacional, pois o município já possui cinco centros de zoonoses. "O Hospital tem como principal foco o tratamento de doenças dos animais. Isso não o impede de realizar a castração e esterilização, mas não é objetivo central", alerta.

A prefeitura informou que o atendimento segue todos os protocolos sanitários necessários em razão da Covid-19, respeitando todas as regras definidas pelas autoridades de saúde. Os responsáveis pelos animais só serão atendidos mediante o uso de máscaras.

Gestão do hospital

A gestão do Hospital Público Veterinário de Belo Horizonte será feita pela Anclivepa-SP, instituição que atua desde 2012 no serviço veterinário e, conforme a PBH, é responsável pela gestão de 10 hospitais públicos veterinários no país, em parcerias com os governos locais.

Para dar início ao funcionamento da unidade, a PBH investiu aproximadamente R$ 1 milhão na operação do Hospital Público Veterinário, incluindo os custos de adequação do espaço, compra de equipamentos e contratação de pessoal.

O poder público também é responsável pelo monitoramento e pela fiscalização da gestão do hospital.

"Com essa parceria, Belo Horizonte passa a ter um hospital de referência para o tratamento dos animais. Com uma gestão profissional e engajamento da sociedade em prol dos direitos dos animais, o projeto tem tudo para avançar", avaliou o secretário municipal de Meio Ambiente, Mário Werneck.

Leia mais:
Kalil determina novo fechamento do comércio em BH: 'voltamos à estaca zero'
IFMG abre quatro vagas para professor substituto nas cidades de Betim e São João Evangelista
Secretário de obras de Santo Antônio do Rio Abaixo é suspeito de assassinar companheira