Trinta e um profissionais de saúde do Hospital Universitário Ciências Médicas de Minas Gerais, no Barro Preto, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, foram afastados dos trabalhos com suspeita de infecção pela Covid-19. A confirmação do número é da assessoria da instituição.

Em nota, a unidade de saúde informou que conta com mais de mil colaboradores e que vários desses profissionais atuam em outras instituições. Esclareceu ainda que não é hospital de referência para o tratamento de Covid-19 em Belo Horizonte. “Hoje, todos os pacientes encaminhados pela central de regulação do município, que testam positivo para o vírus, são encaminhados para um hospital de referência”, disse. 

Denúncias de funcionários da instituição também relatam falta de equipamentos de proteção individual (EPIs) para os colaboradores. A direção do hospital se defendeu e ressaltou que oferece todas as ferramentas de segurança necessárias para a atuação dos profissionais dentro da instituição, tanto na área assistencial quanto na área administrativa. 

“O uso dos EPI’s é obrigatório durante todo o período de trabalho dentro das dependências da instituição. Além desses equipamentos, foram entregues a todos os colaboradores máscaras para o translado de casa para o trabalho e do trabalho para casa”, disse a nota do hospital. 

A direção da instituição disse ainda que, de março até agora, o Hospital Universitário Ciências Médicas de Minas Gerais recebeu 49 casos suspeitos de Covid-19 e apenas um foi confirmado.