O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) apreendeu, nesta terça-feira (18), 576 pirarucus que estavam sendo criados irregularmente na zona rural de Nova Porteirinha, no Norte de Minas. Essa foi a maior apreensão de peixes dessa espécie já realizada no Estado.

“O proprietário foi multado em R$ 14.570. Ele foi ainda notificado a apresentar um plano para destinação dos animais. Todas as atividades de reprodução dos pirarucus foram suspensas”, informou o órgão por meio de nota.

Ainda de acordo com o instituto, os peixes vão continuar na propriedade até que um plano de destinação seja aprovado. Eles poderão ser doados ou devolvidos ao hábitat natural.

O artigo 38 do Decreto nº 6.514 de 22 de Julho de 2008 dispõe sobre as infrações contra a fauna e estabelece que "importar ou exportar quaisquer espécies aquáticas, em qualquer estágio de desenvolvimento, bem como introduzir espécies nativas, exóticas ou não autóctones em águas jurisdicionais brasileiras, sem autorização ou licença do órgão competente, ou em desacordo com a obtida". A multa para esse tipo de crime pode custar entre R$ 3 mil a R$ 50 mil.

O pirarucu é um dos maiores peixes de água doce do mundo. Pode chegar a três metros de comprimento e pesar até 200 quilos. Nativo da bacia Amazônica, vive em lagos e rios afluentes, de águas claras e sem fortes correntezas. O número de sua espécie foi diminuindo devido à pesca predatória, levando o animal à beira da extinção.

Leia Mais:
Aposentados e pensionistas do INSS começam a receber o 13º salário no dia 25

BH tem redução em todos os indicadores de monitoramento da Covid-19