Técnicos do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) vistoriaram áreas impactadas pelo rompimento da barragem de Mariana, na região Central, nesta semana. Dentre as observações feitas pelos profissionais, um problema desperta atenção.
 
Posicionado abaixo da barragem de Santarém para melhorar a qualidade da água que desce para o Rio Doce, o chamado dique S3 apresentou falhas. Todo o trabalho de construção da estrutura se perdeu devido à intensa precipitação de chuvas na região, informa nota enviada pelo Ibama.
 
O dique, que será refeito conforme a nota, deverá barrar grande parte dos resíduos sólidos que ainda estão sendo carreados para os rios. Os técnicos do Ibama também solicitaram à Samarco que acelere a limpeza da área urbana do município de Barra Longa, atingido pela avalanche de lama. 
 
Nesta sexta-feira (15), está agendada uma reunião entre o Ibama, a Samarco e os órgãos ambientais do Estado. O objetivo é de avaliar o que foi feito no período e planejar as ações para a próxima semana.
 
Por nota da assessoria de imprensa, a Samarco afirmou que está empreendendo um grande esforço na região, envolvendo mais de 400 pessoas em várias frentes de trabalho.
 
"As principais ruas e vias de todas as regiões de Barra Longa, por exemplo,  já foram limpas e liberadas, de forma emergencial. Além disso, das 92 residências cadastradas, 39 estão em execução e/ou finalizadas; no caso dos imóveis comerciais, 19 de 37 estão em execução e/ou finalizados".
 
Ainda segundo o texto, para os moradores dessas residências, a mineradora providenciou a acomodação em casas alugadas e finalizou a limpeza (fina e grossa) de todas as casas da cidade.
 
"Nas áreas rurais de Barra Longa, os acessos também foram desobstruídos e mais de 21 quilômetros de cercas de propriedades foram recompostos. Em relação ao parque de exposição, conforme é de conhecimento da prefeitura da cidade, a Samarco está estudando soluções para o material que está no local, a fim de preservar as questões ambientais".
 
Sobre o dique, a Samarco confirmou que os trabalhos de construção do S3 foram prejudicados pelas fortes chuvas registradas no final de dezembro. No entanto, as obras foram imediatamente retomadas, seguem em ritmo normal e devem ser entregues em fevereiro, dentro do prazo inicial previsto.
 
*Atualizado às 13h28