Os corpos de mais duas vítimas que morreram em decorrência do rompimento da barragem Fundão, no último dia 5 deste mês, foram identificados na tarde desta sexta-feira (27).

Segundo a Polícia Civil, foram reconhecidos os restos mortais de Ednaldo Oliveira de Assis, de 40 anos, e Daniel Altamiro de Carvalho, de 53. Ambos eram funcionários da Integral Engenharia, empresa que prestava serviço para a Samarco.

O corpo de Ednaldo, que era natural de Mariana, foi encontrado no dia 10. O de Daniel, que nasceu em Barra Longa, foi localizado no dia 15. Desde então, os cadáveres estavam no Instituto Médico-Legal (IML) de Belo Horizonte, onde foram submetidos a exames de DNA.

Com o reconhecimento dos dois corpos, subiu para 11 os óbitos confirmados por causa da tragédia que aconteceu em Mariana, na região Central de Minas. O número de mortes, contudo, deve aumentar, já que dois corpos ainda aguardam identificação.

Além disso, oito pessoas, sendo cinco funcionários e três moradores do distrito de Bento Rodrigues, permanecem desaparecidos.

Depoimento

Ainda nesta tarde, o delegado Aloísio Daniel Fagundes, da Delegacia Especializada de Crimes contra o Meio Ambiente, ouviu o biólogo Márcio Isaias Perdigão, gerente-geral da área de Meio Ambiente da Samarco, em um depoimento que teve aproximadamente duas horas de duração. Na parte da manhã já havia sido ouvido, na mesma delegacia, o diretor-presidente Ricardo Vescovi de Aragão.