Era pouco depois de 5h e Ildeu Líneo Diogo, de 61 anos, já estava de pé para ir trabalhar neste sábado (6). Infelizmente, desta vez o auxiliar de serviços gerais não conseguiu chegar ao emprego. A poucos metros de sua casa, ele foi atropelado e morreu ao atravessar a marginal do Anel Rodoviário, na altura do bairro Caiçara, na região Noroeste da capital. O condutor do veículo envolvido no atropelamento fugiu do local e, agora, a polícia trabalha para tentar identificar e responsabilizar o culpado pela morte do trabalhador. 

Conforme a Polícia Militar Roviária (PMRv), a corporação foi acionada ao km 465 da rodovia, no sentido Rio de Janeiro, por volta das 5h15, inicialmente para atender a um suposto acidente envolvendo um carro e uma moto. Entretanto, quando chegaram ao local, os militares encontraram somente o idoso caído na rodovia já sem vida. Foi então que acabou sendo constatado que, na verdade, tratava-se de um atropelamento. 

Como o motorista envolvido fugiu e ninguém presenciou o acidente, não foi possível obter nenhuma pista sobre qual veículo teria causado o acidente. A perícia da Polícia Civil (PC) foi acionada e localizou nos pertences do idoso um recibo de pagamento de salário de uma empresa, um estacionamento localizado no Centro de BH. 

Em contato com o empreendimento, ainda de acordo com a PMRv, um colega de trabalho de Ildeu relatou que ele pegaria serviço às 6h. O funcionário ficou responsável de avisar a família da vítima sobre o atropelamento. 

O corpo foi removido ao Instituto Médico-Legal (IML) e a ocorrência encaminhada para a delegacia do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG), que investigará o crime. 

Honesto e trabalhador

Por telefone, o Hoje em Dia conversou com um dos colegas de trabalho de Ildeu. Segundo o homem, que não quis ser identificado, ele trabalhava na empresa há mais de 26 anos e nunca deu nenhum problema. "Era uma pessoa super honesta, trabalhador mesmo. Já estava para aposentar e acontece uma coisa dessa. Ele mora ali do lado de onde aconteceu, tinha acabado de sair de casa quando foi atropelado", lamentou. 

Ainda de acordo com o colega, a família foi comunicada e o corpo inclusive já foi liberado no IML. "Ainda não tenho informação sobre onde será o velório", concluiu. 

Leia mais:
Acidentes com crianças geraram mais de 4 mil internações nos últimos três anos em Minas
Quatro a cada dez multas de celular ao volante são para quem manuseia aparelho
Médica baleada invade calçada com carro, atropela pedestres e morre
Homem morre atropelado pelo próprio caminhão no Barreiro