O apelo para que idosos aderissem a campanha de vacinação contra a gripe surtiu tanto efeito em Belo Horizonte que algumas unidades de saúde não conseguiram atender toda a demanda. No primeiro dia da mobilização, que começou neste segunda-feira (23), doses da imunização acabaram em alguns postos.

"Não temos mais a vacina. Favor retornar amanhã". Essa foi a declaração dada para quem procurou a unidade do bairro Vera Cruz, na região Leste da cidade, durante a tarde. Em outros locais, desde as primeiras horas do dia, o movimento também foi intenso, com filas em determinados momentos.

Neste ano, a campanha de vacinação contra a gripe foi adiantada e intensificada por causa do novo coronavírus, doença com sintomas similares a gripe e que matou 25 pessoas no Brasil nas últimas semanas.

Procurada pela reportagem, a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) garantiu que há vacina em estoque para atender todos os moradores que têm mais de 60 anos e aqueles que trabalham na área da saúde - os primeiros alvos da campanha contra a gripe.

A pasta explicou que, diariamente, encaminha doses para as regionais que fazem a distribuição para os postos. No entanto, a procura no primeiro dia superou as expectativas. "Com o aumento da procura, em algumas unidades podem ocorrer faltas pontuais. Quando isso ocorre, a Secretaria trabalha para fazer o reabastecimento da vacina o mais rápido possível", garantiu o órgão da PBH. Com relação ao posto do Vera Cruz, a SMSA informou que a situação foi restabelecida e a vacinação está normalizada.

Em todo o país, a imunização é gratuita. Na capital, ela está disponível nos 152 centros de saúde. 

Reforço

A partir de quarta-feira (25), a vacina também será aplicada, sem custo, nas unidades da Drogaria Araujo. Dessa forma, os mais velhos, que fazem parte do grupo mais suscetível às complicações em decorrência do coronavírus, estarão longe dos postos, onde também são atendidos casos suspeitos de Covid-19.

De acordo com a SMSA, 410 mil pessoas devem ser imunizadas nesta primeira fase da campanha em BH. A partir de 16 de abril, professores, profissionais das forças de segurança e salvamento e doentes crônicos estão autorizados a se vacinar na rede pública de saúde.

A última fase, que vai de 9 a 22 de maio, tem como prioridade crianças de seis meses a menores de 6 anos, pessoas com mais de 55 anos, gestantes, mães com até 45 dias após o parto, população indígena e portadores de condições especiais.

Leia mais:
Campanha de vacinação contra gripe começa nesta segunda em todo o país
Idosos e trabalhadores da saúde já podem se vacinar contra a gripe
Idosos acima de 60 anos terão vacinação gratuita contra a gripe a partir de quarta na Araujo