O Instituto Estadual de Florestas (IEF) suspendeu, nesta quarta-feira (18), a visitação em todas unidades de conservação gerenciadas pelo órgão estadual em Minas Gerais devido ao coronavírus. A decisão, que afeta a Serra do Rola Moça, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e Ibitipoca, na Zona da Mata, poderá ser prorrogada ao fim do prazo estabelecido em portaria, caso haja necessidade.
 
Segundo o IEF, o Estado conta com 94 unidades de conservação, das quais 21 são abertas ao uso público. A suspensão visa evitar que aglomerações de pessoas possam favorecer a transmissão do vírus e piorar a situação de Minas quanto à Covid-19.
 
"Essa foi uma medida preventiva para não ocasionar nenhum avanço da contaminação, seja por nossos visitantes ou por nossos funcionários que trabalham nas unidades de conservação", explicou o diretor-geral do IEF, Antônio Malard. 
 
Entre as unidades de conservação com visitas suspensas estão reservas conhecidas e de grande procura pela população de Minas, de outros estados e até mesmo de fora do país. Caso do Parque Estadual do Ibitipoca, no distrito de Conceição do Ibitipoca, na Zona da Mata. A unidade teve cerca de 90 mil visitantes em 2019 e tem muitas atrações famosas, como a Janela do Céu e o Circuito das Águas e o Circuito do Peão.
 
Na Região Metropolitana de Belo Horizonte, estão o Parque Estadual da Serra do Rola Moça, em Nova Lima, que teve cerca de 50 mil visitantes no ano passado; e as Grutas da Rota Lund, região cárstica mineira que concentra importantes riquezas históricas, culturais e ambientais desta região que inspirou as andanças do Peter Lund, famoso por suas descobertas arqueológicas e paleontológicas. Juntas, as grutas receberam cerca de 80 mil visitantes em 2019.
 
No Vale do Jequitinhonha, têm destaque o Parque Estadual do Biribiri, em Diamantina, com cerca de 70 mil visitantes, e ainda o Parque Estadual do Rio Preto, no município de São Gonçalo do Rio Preto.