Técnicos dos institutos Estadual de Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha), do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e da Fundação Municipal de Parques começaram, nesta quinta-feira (30), a limpeza das pastilhas da Igreja São Francisco de Assis, na Pampulha. A previsão é a de que os trabalhos durem dois dias.

No ano passado, o patrimônio foi novamente pichado por vândalos. No ano passado, a Prefeitura de Belo Horizonte gastou R$ 8.000 na limpeza da estrutura. Desta vez, o material que será utilizado na 'faxina' da área afetada - aguarrás, algodão e solvente automotivo - será disponibilizado pela Arquidiocese da capital mineira e sem custo para os cofres públicos.

A assessoria do Iepha informou que foram realizados testes para a avaliação dos danos causados no revestimento externo da igrejinha e garantiu que o material utilizado na limpeza não danificará as peças.

Inicialmente, a limpeza estava programada na começar na última terça-feira (28), mas teve que ser adiada por causa da chuva.

Leia mais:
Chuva suspende limpeza dos azulejos pichados da Igrejinha da Pampulha
Retirada de pichação da igrejinha da Pampulha será mais difícil do que anterior, diz Iphan
Polícia Civil começa interrogatórios para chegar aos pichadores da Igrejinha da Pampulha