A iluminação de Natal da Praça da Liberdade este ano tem orçamento enxuto, é mais simples e não contemplará outros equipamentos da cidade. Custeada por um grupo de empresas e instituições, além da Cemig, a decoração contará com 1500 jogos de microlâmpadas de LED, que são mais econômicas que as convencionais, e mais de 300 jogos de estrobos, que irão formar imagens como estrelas e árvores de Natal em toda a extensão da praça. A montagem começou nesta semana e a inauguração está programado o dia 11 de dezembro.

Neste ano, o projeto terá custo de R$ 500 mil. No ano passado, só a capital mineira recebeu R$ 3 milhões de investimentos da Cemig em iluminação em pontos diversos, incluindo a Cidade Administrativa, na região de Venda Nova. Para 2019, apenas a Praça da Liberdade será iluminada.

Marcelo de Souza e Silva

Marcelo de Souza e Silva, da CDL: associação encabeçou projeto para viabilização da iluminação 

Esta é a primeira vez que a viabilização da tradicional iluminação de Natal no local será feita de forma conjunta entre a Cemig e um grupo de empresas e instituições, empreitada realizada após um chamado da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL-BH) às empresas Gerdau e MRV, além do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha), Circuito Praça da Liberdade e Banco do Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG). Segundo a CDL, outras iniciativas ainda podem entrar na “vaquinha” da iluminação da Praça.

Simples, mas de encher os olhos

Os custos menores, na opinião do grupo encabeçado pela Cemig e CDL-BH, não significarão que a Praça da Liberdade terá iluminação aquém do merecido. “Absolutamente. Na prática, a gente mantém uma iluminação que cria o clima natalino, que vai receber essas 300 mil pessoas que passam por ali durante o período”, afirmou Marco Antônio Lage, diretor de comunicação e relações institucionais da Cemig. 

Marco Antônio Lage

Marco Antônio Lage, da Cemig: empresa dividirá custos de viabilização da iluminação

A iniciativa da CDL de encabeçar a “vaquinha” da Praça foi feita às pressas, mas promete trazer resultados muito positivos para os próximos. “Esse momento agora é de garantir que vai ter a iluminação, de forma robusta, mas não tanto quanto nos anos passados, mas agora a gente começa uma outra etapa desse processo, que é buscar mais parceiros para termos eventos de qualidade na praça, eventos do ambiente natalino, mesmo, e que com certeza vão acontecer”, afirmou o presidente da CDL-BH, Marcelo de Souza e Silva. 

Segundo ele, grandes empresas do Circuito da Praça e de fora têm interesse em participar e, para o Natal de 2020, a experiência mostrou que o planejamento antecipado trará resultados promissores. “Estamos fazendo desse limão uma grande limonada”, completou. 

Menos luzes, mais eventos 

Na opinião do diretor de relações institucionais da Gerdau, Bruno Castilho, a entrada da siderúrgica no financiamento da iluminação de Natal da Praça da Liberdade enriquecerá a  experiência de quem visitar a programação natalina do local, que já conta com o MM Gerdau - Museu das Minas e do Metal. Segundo ele, práticas já bem sucedidas da fornecedora de aço no interior, como a Casa da Música, em Ouro Branco, podem ser replicadas na capital, trazendo cantatas e atos de Natal.

Bruno Castilho

Bruno Castilho, da Gerdau: cantatas e atos de Natal podem passar a integrar programação da Praça

“Fomos convidados para ajudar a pensar o projeto. Então, mais do que aportar recursos, vamos fazer parte da construção de uma coisa maior. Nós temos uma grande oportunidade de programação, ou seja, mais do que só a iluminação, a gente pode ter iniciativas que vão atrair mais as pessoas”, afirmou Castilho.