Um incêndio de grandes proporções devastou 100 mil m² de uma área florestal em Nova Serrana, na região Centro-Oeste de Minas. As chamas, conforme o Corpo de Bombeiros, provocaram uma intensa cortina de fumaça, que pôde ser vista de várias regiões da cidade.

O caso foi registrado por volta das 14h de quinta-feira (22), quando os militares se mobilizaram para debelar o fogo, que destruía uma serra denominada como Igrejinha. "O local é conhecido como uma área turística de grande relevância, não só religiosa quanto também em sua biodiversidade", destacou a corporação.

Após intenso trabalho dos bombeiros, as chamas foram controladas. Os militares permaneceram no local até eliminar o risco de novos focos, já que o local é de difícil acesso. "O combate ao incêndio se deu até que não fosse mais possível visualizar as chamas, nem focos secundários", explicou.

Para controlar o incêndio, foram utilizados bombas costais, abafadores e sopradores.

Em Nova Serrana, somente neste ano, foram registrados mais de 170 atendimentos de incêndios florestais. No Estado o número chega a quase 9 mil, 30% mais do que em 2018.

Estatística

Historicamente, o mês de setembro é o que mais registra incêndios florestais no Brasil. Uma das explicações é o tempo seco. Diversos estados, incluindo Minas Gerais, registram, entre agosto e outubro, o período de estiagem com as menores taxas de umidade relativa do ar.

Mas, apesar das condições naturais serem favoráveis à ocorrência e propagação de queimadas, na maioria das ocorrências, o fogo é provocado pela ação humana.
 

Leia mais:
Minas já registra quase 9 mil incêndios neste ano, 30% mais do que em 2018
Governo estuda enviar Exército para combater queimadas na Amazônia
Ibama vai contratar brigadas para prevenir e combater incêndios