Os focos de queimadas em Minas Gerais aumentaram 54% este ano na comparação com o ano passado. Entre o dia 1° de janeiro e 14 de julho os satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (INPE) captaram 1.298 focos de incêndios no Estado, enquanto no mesmo período do ano passado foram registrados 845. 

Mas este número é ainda maior fora do alcance dos satélites. Na contagem do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, que contabilizou o número de ocorrências atendidas relacionadas a incêndios em vegetação, de janeiro a junho deste ano, foram 5.477 ocorrências, sendo que somente na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foram 1.208. Já no mesmo período do ano passado, foram realizados 4.148 atendimentos nos Estados. 

Um destes incêndios ocorre desde a noite desse domingo (14) na Serra do Curral, no Parque das Mangabeiras, Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Os focos de queimadas acontecem em vários pontos da vegetação e, por isso, o trabalho dos bombeiros continua, já que mesmo após debelarem as chamas em alguns pontos, elas reacendem devido ao tempo seco. 

E é também o tempo seco e a falta de chuvas que têm ajudado a perpetuar tantos incêndios em Minas Gerais este ano. Para se ter uma ideia, a umidade relativa do ar, nesta segunda-feira (15), gira em torno de 30% em Belo Horizonte, muito abaixo do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que é de 60%. 

No entanto, segundo o Corpo de Bombeiros, 99% das queimadas começa por ação das pessoas. "As ações, que podem ser imprudentes ou criminosas, vão de jogar uma guimba de cigarro próximo a rodovias a colocar fogo na vegetação de maneira proposital", esclarece a corporação.

Outros incêndios 

Além dos vários focos de incêndio que persistem na Serra do Curral, espaço que conta com uma área de 400 mil m², os bombeiros também atuaram no combate de um incêndio que começou na noite desse domingo (14) em um bambuzal na cidade de Ituiutaba, perto do córrego Pirapitinga, no Triângulo Mineiro. Neste caso, o fogo alcançou diversos lotes e bairros, e os trabalhos foram dificultados pela altura do bambuzal, que fez com que labaredas de chamas fossem alçadas até os cinco metros de altura. Mas ninguém ficou ferido. 

Incêndio em BambuzalChamas em bambuzal em Ituiutaba foram contidas pelos bombeiros na noite desse domingo 

Já no sábado (13), somente no início da noite, foram registradas nove ocorrências de incêndio na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Na capital, o fogo consumiu vegetação em terrenos nos bairros Jonas Veiga, na região Leste, e Jardim Alvorada, na região Noroeste. Já na Grande BH. os militares combateram as chamas em Sabará, Nova Lima, Lagoa Santa, Contagem e Prudente de Morais. 

Veja abaixo, as dicas de segurança do Corpo de Bombeiros para evitar queimadas: 

- Não solte balões ou fogos de artifício perto de matas ou áreas rurais.

- Não lance guimbas de cigarros acesos pelas janelas de veículos ou no chão em áreas rurais ou às margens de rodovias.

- Evite o acúmulo de lixo em lotes vagos.

- Ao realizar a capina de um lote vago, prefira ensacar os resíduos a realiza a queima destes.

- Denuncie quaisquer ações criminosas ou negligentes que possam culminar em um incêndio florestal, pelo número 181 (Disque Denúncia).

Leia mais:

Bombeiros registram nove incêndios em vegetação na RMBH no fim da tarde deste sábado; veja vídeo
Incêndio atinge terraço do Ponteio Lar Shopping
Incêndio atinge mata no bairro Manacás, na Pampulha
Corpo de Bombeiros registra mais de 50 focos de incêndio na Grande BH nesta segunda-feira