Incidência da Covid cai 84% e BH registra menor circulação do vírus no ano

Marina Proton
mproton@hojeemdia.com.br
07/10/2021 às 07:41.
Atualizado em 05/12/2021 às 06:01
 (Maurício Vieira/Hoje em Dia)

(Maurício Vieira/Hoje em Dia)

Pela primeira vez no ano, a incidência da Covid-19 está abaixo de 100 casos por 100 mil habitantes em Belo Horizonte. Na prática, a circulação do vírus é a menor já registrada, porém, ainda longe do ideal, o que reforça a necessidade das medidas sanitárias. O índice possibilitou novas flexibilizações, em vigor desde ontem, na cidade.

No pico da pandemia, em março e abril, a taxa chegou a 608. A vacinação é apontada como principal motivo para a redução de 84%. Para que o risco de transmissão da doença seja considerado baixo, é preciso que os indicadores fiquem na casa dos 20 casos por 100 mil habitantes. 

“É uma incidência ainda alta, não nos deixa confortável. Mas quando relacionamos aos últimos meses, percebemos que diminuiu consideravelmente”, disse o diretor de Promoção à Saúde e Vigilância Epide-miológica da Prefeitura de Belo Horizonte, Paulo Roberto Corrêa. 

A imunização – que amanhã chega para os adolescentes de 13 e 14 anos – é um ponto de atenção. “Essas medidas contribuem para que o vírus circule menos. Então, ele vai achar menos pessoas susceptíveis para atingir. Hoje, com a boa cobertura da vacinação e com taxas de ocupação de leitos e RT, podemos considerar que, nesse momento, a situação está controlada do ponto de vista da transmissão”, acrescentou o gestor. 

Os dados favoráveis foram os parâmetros usados pela PBH para aumentar a capacidade de atendimento no comércio, assim como a ampliação dos alunos no ensino presencial.

Uso de máscara

Especialistas, no entanto, reforçam que os indicadores não permitem relaxamento das medidas de proteção. Mesmo diante das novas flexibilizações, a deso-brigação do uso da máscara, ainda que em espaços abertos, está distante. 

Para que isso aconteça, é preciso atingir no mínimo 80% dos moradores com as duas doses. Atualmente, a cobertura está em 53%. O alerta é do infectologista e membro do Comitê de Enfrentamento à Covid em BH, Unaí Tupinambás. 

“Acho pouco provável que a prefeitura suspenda a obrigação (das máscaras). Talvez, possamos flexibilizar em espaços abertos, nas ruas, calçadas, pode ser que você possa ficar sem a máscara. Mas acho que temos que esperar que pelo menos 80% estejam com as duas doses”, avaliou. 
Já nos espaços fechados, como ônibus, lojas, shoppings e escolas, a máscara deve ser utilizada por ainda mais tempo, ao menos até o fim do ano. “Quanto mais pessoas vacinadas e quanto mais usarmos a máscara, mais rápido iremos controlar a pandemia”, finalizou.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por