A incidência da Covid-19 em Belo Horizonte teve um aumento de 51,6% em apenas 14 dias. De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura nesta terça-feira (24), a cidade registrou, nesta segunda-feira (23), 90,9 casos de infectados a cada 100 mil habitantes. No dia 9 de novembro, a taxa era de 60 casos a cada 100 mil. A epidemia será considerada de baixo risco quando o município passar a registrar 20 casos neste mesmo grupo. 

Esse dado reforça que a pandemia de Covid-19 voltou a ter uma curva ascendente na capital mineira em novembro. Tanto que a taxa de transmissão do novo coronavírus continua em nível de alerta (acima de 1,00). Segundo o boletim, o número médio de transmissão por infectado (Rt) é de 1,08 – ou seja, 100 pacientes transmitem, em média, para 108 pessoas.

O levantamento ainda mostra que a cidade contabiliza 53.115 casos confirmados da doença, 245 a mais do que o boletim apresentado no dia anterior. Também registra mais oito mortes, chegando a um número total de 1.622 vidas perdidas por causa do novo coronavírus.

O crescimento no número de casos acaba, consequentemente, impactando no atendimento hospitalar. O boletim demonstra que já houve um aumento na ocupação de leitos de UTI e enfermaria reservados a pacientes com Covid, embora os números ainda estejam em um nível controlado.

Nesta terça-feira, o boletim indica que 40,4% dos leitos de alta complexidade estão ocupados - eram 39,5% no dia anterior e 37% na sexta-feira (20). Entre os leitos de enfermaria, a taxa de ocupação é de 38,1%, ante 37,1% no dia anterior e 34,2% na sexta-feira.

Leia mais:
Governador quer retorno das aulas presenciais e diz que alunos estão sendo prejudicados
Kalil se reúne com Comitê da Covid-19 e convoca coletiva para esta quarta