Os três velocímetros que monitoram a pandemia da Covid-19 em Belo Horizonte estão em alta nesta segunda-feira (8). Uma semana após a reabertura de atividades não essenciais na capital mineira, as taxas de ocupação de leitos de UTI e enfermaria e a de transmissão da doença avançaram após constantes quedas registradas nos últimos dias. Apenas um desses dados continua no nível verde do gráfico dos indicadores. As informações constam no boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura na tarde desta segunda.     

Segundo o levantamento, a ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), reservados para pacientes com a doença, voltou para o nível vermelho, em estado de alerta máximo, após chegar a ocupar a faixa amarela do gráfico. Em queda constante nas últimas semanas, a taxa chegou a atingir 68,4% de vagas ocupadas no boletim da última sexta-feira (5). Hoje, dos 585 leitos, 73,7% já não estão mais disponíveis em hospitais das redes pública e privada da cidade.

A taxa de ocupação dos leitos de enfermaria também está em avanço nesta segunda. O índice, que ocupava o nível verde com 48,4% na sexta-feira, está agora no nível amarelo com 50,2% das 1.471 vagas em unidades do SUS e suplementar ocupadas.

Após mais de 20 dias em queda, o número médio de transmissão por infectado (Rt) registrou avanço no boletim desta segunda. Desde o último dia 15 de janeiro, quando estava em 1,09, o dado não apresentava alta. O índice, porém, segue no nível verde do gráfico e se mantém controlado, abaixo de 1. Hoje, o Rt está em 0,9, o que significa que, em média, 100 pessoas infectadas transmitem a doença para outras 90.                                                                                                          

Sete novos óbitos

O levantamento de hoje também atualiza os dados dos últimos três dias em relação ao número de óbitos e casos confirmados. Segundo o boletim, sete novas mortes foram registradas, totalizando 2.376 vidas perdidas pela doença desde o início da pandemia, em março. Do total, 1.297 são homens e 1.079 são mulheres.

Também nos últimos dias, 1.123 novos casos foram confirmados na capital mineira. Ao todo, 95.574 pacientes foram expostos ao vírus na cidade. Em contrapartida, 88.207 pessoas já se recuperaram. Outras 4.991 estão em acompanhamento.

Imunizados

Belo Horizonte já imunizou 72.653 pessoas contra a Covid-19. Dentro deste grupo estão 57.756 belo-horizontinos que receberam a primeira dose da vacina chinesa CoronaVac e outros 14.897 que receberam a primeira dose do imunizante da AstraZeneca/Oxford.

Os dados desta segunda também informam que 1.096 pessoas já receberam a segunda dose do imunizante chinês. Quem recebeu a vacina da AstraZeneca deverá receber a dose complementar a partir de maio de 2021.

Até o momento, 193.820 doses – 153.320 da CoronaVac e 40.500 da AstraZeneca/Oxford – já foram distribuídas aos 220 postos de imunização, que são compostos por hospitais da Rede SUS e Suplementar de Saúde, Unidades de Pronto Atendimento, SAMU, Centros de Saúde, Laboratórios e equipe volante.

Leia mais:
Vacina da UFMG contra Covid deve avançar para teste em humanos após parceria
Anvisa debate regulamentação para importar vacinas pelo acordo Covax
Minas vacinou mais de 300 mil pessoas contra a Covid-19; quase 25 mil já receberam a 2ª dose