Municípios que geram resultados e impacto na sociedade com soluções inovadoras podem ser premiados e terem seus gestores presentes em um seminário internacional para troca de experiências. Trata-se do Prêmio MuniCiência - Municípios Inovadores, e as inscrições vão até o dia 8 de julho. 

Podem participar prefeituras e gestores municipais de todo o Brasil que proponham novas práticas ou mudanças nas ações realizadas em qualquer setor. É necessário que a iniciativa esteja em fase de implementação no ato da inscrição, que deve ser feita no site municiencia.cnm.org.br

O prêmio, que já está em sua terceira edição, acontece desde 2015 e é promovido pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), com apoio da União Europeia. O objetivo é identificar e compartilhar iniciativas municipais transformadoras e que tenham impacto positivo na sociedade. 

Para se inscrever, os municípios, consórcio municipais e intermunicipais interessados devem ser filiados à CNM e até dois projetos podem ser cadastrados.   

Etapas

O resultado das inscrições homologadas será divulgado no dia 10 de julho e os projetos válidos serão analisados por uma comissão técnica da CNM. Depois desta etapa, as 30 iniciativas classificadas passam pelo crivo do Conselho Político da Confederação. 

Já entre os dias 12 de agosto e 2 de setembro acontece a 2ª etapa do prêmio, na qual apenas 10 projetos seguem adiante para o voto popular na internet. O público terá do dia 7 de outubro a 31 de março de 2020 para fazer a sua escolha.

Os gestores das cinco primeiras colocadas participarão de seminário internacional para troca de experiências. O resultado final será anunciado na XXIII Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios.

“O Prêmio MuniCiência permite descobrir iniciativas maravilhosas e com enorme potencial de serem replicadas. Para nós, é um orgulho participar deste projeto”, aponta o chefe de cooperação da delegação da União Europeia no Brasil, Thierry Dudermel.

Premiados

Nas edições de 2017 e 2018 os destaques ficaram com as cidades de Abaetetuba (PA), Gurjão (PB), Rio Grande (RS), Santa Clara do Sul (RS) e São Bento do Una (PE), que apresentaram iniciativas para garantir acesso à água potável, inibir a evasão escolar, promover a arte e a cultura, agregar valor aos negócios da região e estimular a participação dos jovens na construção do currículo escolar.  

Leia mais:

'Vereadores' por um dia, alunos de Direito de BH votam projetos na Câmara Municipal
Para driblar a nova lei: construtores antecipam projetos para fugir do novo Plano Diretor de BH