Foi encerrado o inquérito sobre a morte da sargento do Corpo de Bombeiros Fernanda Ferreira Patrocínio. No entanto, o resultado não foi divulgado.
 
Por meio de nota, a assessoria de imprensa da corporação informou que o procedimento foi entregue à Corregedoria na última sexta-feira (13), exatamente no prazo estipulado para a entrega do documento. 
 
A investigação foi totalmente feita internamente. Agora, o trabalho realizado será analisado e avaliado pela Corregedoria, que tem como dever conferir se o inquérito foi feito da forma correta e dentro dos trâmites legais. Posteriormente, o documento será encaminhado à Justiça Militar e as conclusões divulgadas.
 
Entenda o caso
 
Fernanda Ferreira Patrocínio, que tinha 33 anos, morreu no dia 18 de julho deste ano. Na data, a sargento e outros bombeiros atuaram no combate às chamas em um apartamento no 8ª andar do Condomínio Residencial Solar das Águias, na rua Tomé de Souza, altura do número 1.400, na Savassi, região Centro-Sul de Belo Horizonte. 
 
O fogo teve início no meio da tarde em um aparelho de ar-condicionado, que apresentou defeito. Os focos atingiram apartamentos vizinhos ao 802. No entanto, o incêndio não demorou para ser controlado e logo foi dado por encerrado. Mas, por volta das 18 horas, quando moradores já se preparam para voltar às suas casas, um deles encontrou Fernanda inconsciente dentro do elevador do prédio, que tem 11 andares.
 
Apesar do clima de tensão e comoção, os próprios colegas tentaram reanimar a sargento, mas ela não resistiu. Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também chegou a ser acionada e constatou o óbito. Em seguida, o local foi interditado pela Defesa Civil e vistoriado por mais de uma vez.