A Polícia Civil concluiu o inquérito sobre a morte do estudante Daniel Mello, de 27 anos, que cursava Artes Cênicas na Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) na região Central de Minas. Ele foi achado morto dentro de uma sala, na república "Nóis é Nóis", na rua doutor Cláudio de Lima, no bairro Nossa Senhora do Rosário, após ingerir grande quantidade de bebida alcoólica.

As investigações não apontaram culpados. Segundo a delegada Fabiana Leijoto, o inquérito foi concluído na semana passada e encaminhado à Justiça, na segunda-feira (4). Leijoto disse ainda que a morte do universitário ocorreu por intoxicação por etanol. “Ninguém foi indiciado já que ele consumiu voluntariamente a bebida”, explica a delegada.

Daniel, que era natural de Guaranésia, no Sul de Minas, foi encontrado morto, no dia 27 de outubro de 2012 caído no chão da sala da república. Na época, os colegas de quarto do universitário chamaram a polícia e acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que constatou o óbito.

Testemunhas contaram à polícia que o estudante passou a noite anterior em uma festa, na própria república, onde teria ingerido alcoól .

No dia 30 de novembro do mesmo ano, o estudante de química industrial, Pedro Silva Vieira, de 25 anos, morreu dentro da república "Saudade da Mamãe", em Ouro Preto. Ele também teria bebido muito. A polícia ainda trabalha nas investigações deste caso. Após as duas mortes provocadas pelo excesso de bebidas alcoólica dentro das repúblicas, o reitor da UFOP, João Luiz Martins, lançou, no dia 1º de fevereiro deste ano, uma campanha com o objetivo de conscientizar os estudantes quanto ao uso dessas. A ação será divulgada por meio de cartazes e em veículos de comunicação locais.