A expectativa de instalar 1.300 novos abrigos de ônibus em Belo Horizonte até 2020, com coberturas mais espaçosas, resistentes e iluminadas, não será cumprida. O prazo foi adiado para 2025. As estruturas mais modernas foram anunciadas em meados de 2016. Do total previsto, 700 foram colocadas em todas as regiões da metrópole, principalmente na área central. 

A BHTrans informou que tentará antecipar a implantação das 600 restantes e frisou que o serviço vem sendo realizado "de forma gradativa, mas também dinâmica, já que eles podem ser instalados tanto em novos locais, quanto em ponto em que necessita de substituição".

De janeiro a setembro deste ano, 120 pontos de embarque e desembarque de passageiros receberam os novos modelos de abrigos. "Levando-se em conta essa média por ano é o prazo para a instalação dos 600 restantes é 2025, pode até ser que este prazo seja antecipado mas depende de alguns fatores", reforçou a empresa responsável por administrar o tráfego na capital.

Nesta semana, o Hoje em Dia mostrou que 325 pontos estão danificados.

Morador do bairro Novo Tupi, na zona Norte de BH, o comerciante Cláudio Silva, de 37 anos, pega ônibus todos os dias, na avenida Risoleta Neves, para ir à região Centro-Sul, onde trabalha. O abrigo usado para esperar o coletivo ainda é do modelo antigo.

“É muito ruim. É desconfortável, sujo e está cada vez mais depredado. Perto do meu serviço tem desses mais novos. Seria ótimo trocar todos”, reclama o homem. 

O técnico em refrigeração Paulo Henrique de Souza, de 30 anos, já notou os benefícios desses abrigos. “São mais espaçosos”, acrescenta. 

Melhorias

Apesar do atraso, o diretor do Sistema Viário da autarquia, José Carlos Mendanha Ladeira, disse que a há um empenho para melhorar o conforto dos passageiros. A prefeitura iniciou a instalação de Wi-Fi nas estruturas.
 
Por enquanto, a rede de internet sem fio é encontrada só em um ponto de ônibus da avenida Bernardo Vasconcelos, altura do número 377, no bairro Cachoeirinha, região Nordeste. “Mas, nossa intenção é expandir a tecnologia. Queremos atrair mais usuários para o transporte coletivo, porque não cabem mais muitos carros nas ruas”, afirmou.

Nas próximas semanas, a BHTrans também vai testar abrigos ecológicos, com uma trepadeira atrás das estruturas para deixar o ambiente mais fresco. Os locais das “coberturas verdes” não foram informados.

Professor de Segurança Viária do Cefet-MG, Agmar Bento diz ser fundamental investir no transporte público para manter os passageiros e atrair novos. “A implantação de abrigos mais confortáveis é válida para garantir ao usuário mais conforto e segurança”, frisou.