Foi preso, nesta sexta-feira (17), mais um integrante da quadrilha acusada de matar dois militares e assaltar um banco, em Itaguara, na região Central do Estado. Wallysson Aguiar Tamborini, de 33 anos, estava foragido da Justiça. Tamborini foi condenado a 33 anos de prisão em regime fechado, neste ano, por formação de quadrilha, roubo substanciado, porte ilegal de arma e concurso material, ou seja, quando se pratica dois ou mais crimes em sequência. O líder do grupo, Fábio Lúcio Almeida, de 31 anos e conhecido como "Fabinho Boy", foi condenado, em 2013, a mais de 49 anos de prisão. 
 
Segundo a Polícia Militar (PM), Tamboniri foi abordado, em uma blitz, quando conduzia um veículo Chevrolet Meriva, na rua Helena Sapori Fabula, no bairro Veneza, Ribeirão das Neves, na região Metropolitana de Belo Horizonte. Ele estava sem a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e o veículo não tinha licença.
 
Ao verificar o nome do motorista, a PM constatou o mandado de prisão em aberto. Tamborini foi levado para a Delegacia de Plantão de Ribeirão das Neves. A Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) não soube informar para qual presídio o homem será levado.
 
Relembre o caso
 
Fábio Lúcio Almeida, de 31 anos e conhecido como "Fabinho Boy", é acusado de ter matado um cabo e um soldado da Polícia Militar durante um assalto a banco em Itaguara, na região Central de Minas. "Fabinho Boy" ainda era conhecido do meio policial por ter protagonizado duas fugas cinematográficas de penitenciárias da Grande BH. O criminoso foi condenado a mais de 49 anos de prisão, em 2013. Wallysson Aguiar Tamborini e mais um homem também são acusados de participar do assalto.