Um protesto com aproximadamente 100 moradores de ocupações de Belo Horizonte, em frente à sede da prefeitura, deixou o trânsito lento no Centro da capital, na tarde desta quarta-feira (24), e provocou confusão na sede do Executivo municipal. Segundo a BHTrans, a faixa da direita da avenida Afonso Pena, no sentido Centro/bairro, após a rua da Bahia, ficou interditada.

Manifestantes entraram no prédio da PBH para exigir uma negociação sobre obras de saneamento básico e regularização fundiária. A assessoria de imprensa da administração municipal afirmou que não irá se manifestar sobre o assunto. 

Quatro manifestantes foram presos, um pela Guarda Municipal e três pela Polícia Militar. A Guarda Municipal conduziu à Central de Flagrantes 2 um homem de 31 anos suspeito de ter empurrado e tentado desarmar um guarda no momento em que os manifestantes entravam na sede da prefeitura.

Já a Polícia Militar afirmou ter preso três líderes do movimento após uma tentativa de negociação para que a sede da prefeitura fosse desocupada. Frente à negativa dos líderes, os policias deram voz de prisão por quatro motivos: desacato, por liderar a invasão ao prédio da Prefeitura com uso de violência contra agentes da Guarda Municipal, por desobedecer ordem da Polícia Militar para a desocupação e por expor crianças e idosos na linha de frente da ocupação.   

Outra manifestação que acontecia na Praça da Estação, realizada por professores da rede municipal, também seguiu para a avenida Afonso Pena, provocando reflexos no trânsito de toda região do hipercentro. A manifestação integrou o movimento pelo Dia Nacional de Luta da Educação em Defesa da Previdência e da Educação Pública e ditou palavras de ordem contra a reforma debatida no Congresso Nacional. Uma das reivindicações é a implementação de três níveis na carreira dos profissionais da Educação Infantil.

Leia mais:
Professores da rede municipal votam por indicativo de greve; paralisação acontece em 15 de maio

Confira as fotos da manifestação: