Há mais de 50 anos, a paróquia de São Geraldo, no bairro Cabana Pai Tomás, na região Oeste de Belo Horizonte, monta um grande presépio para celebrar o período natalino. Neste ano, porém, a comunidade se viu surpreendida pelo furto de uma única peça do cenário. Na madrugada de domingo (29), alguém levou a estátua de Maria, mãe de Jesus.

Para o pároco da igreja de São Geraldo, Dário Ferreira da Silva, este foi um caso de intolerância religiosa contra a fé católica. Isso porque Maria tem papel fundamental para o catolicismo. “Havia tantas outras imagens, e a de Maria estava mais difícil de ser conduzida. Levaram a imagem dela porque Maria é causa de contenda entre religiões. Especialmente no protestantismo, muitos a interseção dela junto a Deus”, disse.

De acordo com o padre, há quatro anos o presépio vem sendo montado do lado de fora da igreja para permitir uma aproximação maior com a comunidade. Em um ano de pandemia, com todas as restrições para a entrada dos fiéis, ganhou uma importância ainda maior. “É tão bonito ver o povo rezando em frente, trazendo as crianças para ver”, afirmou.

O padre lembra ainda que a estátua não tem valor de mercado. É uma obra de gesso comum, facilmente comprada no comércio.

Ela é um símbolo importante para a fé católica. É como o retrato da minha mãe. Aquilo é só papel, mas sempre que vejo me faz lembrar da minha mãe. É como a bandeira do Brasil. É um pano, mas e se vier um estrangeiro sujá-la? Isso vai nos incomodar muito pois é um símbolo importante”, explicou padre Dário, que ainda não fez um registro policial do furto.