No dia em que se completam quatro meses da tragédia de Brumadinho, que matou 242 pessoas, entre elas a médica Marcelle Porto Cangussu, de 35 anos, a irmã dela Larissa Cangussu, que mora nos Estados Unidos, fez uma publicação em homenagem à médica no Facebook.

"Essa tulipa vermelha surgiu  aqui no jardim onde eu moro. Sozinha. Única... me chamou a atenção porque não me lembrava dela nas primaveras anteriores... percebi essa flor como um presente. Na semana em que meu pai veio pra minha formatura foi como se a presença da Marcelle tivesse se materializado nas majestosas pétalas da flor (uma das minhas favoritas)... hoje, exatos 4 meses após Brumadinho, meu coração se permitiu sentir um pouco de dor, coisa que evito, imediatamente recorrendo a lembranças felizes", postou Larissa. 

A médica do trabalho Marcelle Porto Cangussu foi a primeira vítima identificada da tragédia de Brumadinho, causada pelo rompimento da barragem 1 da Vale no Córrego do Feijão. Ela tinha completado 35 anos um dia antes de morrer e trabalhava na empresa desde 2015. Marcelle não estava escalada para trabalhar no dia do acidente, mas, segundo familiares, foi chamada de última hora.

 

Médica morta Brumadinho

Solteira, a moça não tinha filhos e gostava de passar as noites com a avó

 

Neste sábado (25), o Corpo de Bombeiros atualizou o número de mortos para 242. Vinte e oito pessoas ainda estão desaparecidas.

 

Leia mais:
Primeira vítima identificada, médica da Vale é enterrada em Belo Horizonte
'Quando a sirene tocou, o coração acelerou', relata moradora de BH que passou por simulado
Quatro meses após tragédia em Brumadinho, moradores de BH passam por simulado