Jair Bolsonaro faz pronunciamento em rede nacional em meio a polêmica sobre vacinação de crianças

Luciane Amaral
Hoje em Dia - Belo Horizonte
24/12/2021 às 21:15.
Atualizado em 29/12/2021 às 00:37
 (Valeter Campanato / Agência Brasil)

(Valeter Campanato / Agência Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) convocou a rede nacional de rádio e televisão para um pronunciamento na noite desta sexta-feira (24), véspera de Natal. 

A fala do mandatário durou um minuto e foi veiculada às 20h30. Bolsonaro se dirigiu à nação com a mulher, Michele Bolsonaro e fez um balanço de 2022, que considerou como um ano de “muitas dificuldades”. 

O presidente destacou que não faltaram a ele “seriedade, dedicação e espírito fraterno no planejamento e na construção de políticas públicas em prol de todas as famílias.”

A primeira-dama disse que não “economizaram esforços para apoiar a todos, em especial os mais vulneráveis.” E que não se afastaram do que acreditam e defendem: “Deus, pátria, família e liberdade”. 

Michele Bolsonaro falou mais do que o marido e foi ela quem agradeceu aos brasileiros pela confiança no país e desejou que todos celebrem o Natal com parentes e amigos. 

Bolsonaro finalizou a mensagem desejando que 2022 seja um ano de esperança, conquistas e realizações.

A transmissão aconteceu horas depois de o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, ter dado prazo de 48 horas para que o presidente Jair Bolsonaro preste esclarecimentos sobre a suposta intimidação a servidores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que participaram da aprovação de vacinação contra Covid-19 para crianças de 5 a 11 anos de idade, com uma dose reduzida do imunizante da Pfizer. A decisão ocorre após o presidente defender, em transmissão ao vivo na internet, a divulgação dos nomes desses funcionários do órgão.

Também nesta sexta-feira, a presidência anunciou que Jair Bolsonaro assinou duas medidas provisórias que abrem crédito extraordinário de R$ 6,4 bilhões de suplementação orçamentária para a compra de vacinas contra a Covid-19. E mais um crédito extraordinário de R$ 4,1 bilhões para o Ministério da Cidadania pagar parcelas antigas em dobro após a derrubada de um veto pelo Congresso Nacional em junho deste ano a pais solteiros chefes de família que receberam as cinco primeiras parcelas do auxílio emergencial em 2020.

Mais cedo, nas redes sociais, vários grupos convocaram as pessoas a promover um panelaço durante o pronunciamento.

Leia mais

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por