A tarde desta segunda-feira (25) foi marcada por mais um episódio de homofobia em um shopping de Belo Horizonte, quando dois jovens foram agredidos verbalmente enquanto estavam sentados em um dos bancos do centro comercial. O ato foi filmado e publicado nas redes sociais pelo próprio autor das ofensas, um barbeiro que contava com mais de 63 mil seguidores no Instagram.

No vídeo, que viralizou, o homem perguntava às vítimas o que elas estavam fazendo e pedia para que continuassem. “Continua o que vocês estavam fazendo, seus palhacinhos. Continua essa palhaçada que vocês dois estavam arrumando aí”. Na gravação ainda é possível ouvir uma segunda pessoa, que ria sempre que o suspeito hostilizava os rapazes.

Nas imagens, os jovens pareciam constrangidos, tentando a todo momento esconder os rostos com as mãos. Os insultos continuaram com palavras de baixo calão e só foi encerrado após um dos garotos tentar tapar a lente do celular. O perfil do autor, onde foi feita a publicação, saiu do ar.

Procurada, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) comunicou que não localizou registro de ocorrência sobre os fatos. O órgão informou também quee orienta às vítimas procurarem uma delegacia mais próxima de onde moram para registrar o episódio.

"Encontro pacífico"

Por nota a equipe do Minas Shopping, centro comercial onde foram feitas as imagens, informou que no dia do ocorrido não recebeu nenhum acionamento relacionado ao caso e que, após questionamentos do público, verificou o encontro dos homens pelas câmeras de vigilância.

“Os jovens se encontraram pacificamente no segundo piso, se cumprimentaram e por ali permaneceram conversando por cerca de 20 minutos. Ao final da conversa, se despediram”, explicou a empresa.

Crime

Desde junho de 2019 o Supremo Tribunal Federal criminalizou a homofobia. Praticar, induzir ou incitar a discriminação em razão da orientação sexual da pessoa dá pena de três anos, além de pagamento de multa. Quando divulgado em meios e comunicação ou em rede social a condenação pode ser de dois a cinco anos.

Leia também

Líbero do Minas, Maique nega ter assinado carta em apoio a Maurício Souza
Capitã do time feminino do Minas, Carol Gattaz diz 'chega' a 'preconceitos disfarçados de opinião'