Condenado a 37 anos de prisão no processo do mensalão pelos crimes de peculato, corrupção ativa e lavagem de dinheiro, o empresário e ex-publicitário Marcos Valério irá para casa nos próximos dias. A Justiça mineira concedeu o direito de prisão domiciliar para ele.

Dentre os motivos para o benefício, conforme o advogado Jean Kobayashi Júnior, está a pandemia do novo coronavírus. Marcos Valério tem câncer linfoma tipo não-hodgkin e, por isso, está com a saúde debilitada, alega o defensor.

"Ele tem 59 anos e, devido à situação precária da saúde dele, devido a falta de estrutura que o Estado não tem para atender a necessidade de saúde dele e agora essa epidemia", declarou Jean Kobayashi ao solicitar o benefício.

marcos valério
Marcos Valério foi o operador do mensalão

De acordo com o advogado, o Tribunal de Justiça entendeu que Marcos Valério tem direito a prisão domiciliar pelo prazo de 90 dias. "Espero que esse prazo seja estendido, porque não vai resolver o problema causado pela epidemia neste período. Espero que estenda até o último dia da pena dele", disse.

A expectativa é que Marcos Valério deixe a prisão ainda nesta semana. O Tribunal de Justiça foi procurado pela reportagem e informou que "o processo corre em segredo de justiça, por isso não podemos repassar nenhuma informação sobre ele".

O ex-publicitário cumpre pena no Complexo Penitenciário Público Privado em Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Leia mais:
Justiça autoriza Marcos Valério a trocar de emprego