Sete pessoas foram condenadas por receptação e fraudes contra seguradoras em Varginha, no Sul de Minas. Somadas, as penas ultrapassam 57 anos de prisão. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (2), pelo Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG).

O grupo foi preso durante a 2ª fase da operação Calhambeque, que desmantelou uma organização criminosa que atuava em Minas e em São Paulo e era especializada em receptação e comercialização de automóveis e peças automotivas roubadas, furtadas ou provenientes de fraudes contra seguradoras.

Conforme o MPMG, na primeira fase da operação, foram cumpridos 16 mandados de busca e apreensão e 16 de prisão preventiva e 15 investigados foram denunciados. O processo se encontra em fase de sentença.

Na sequência, com o prosseguimento das investigações, foi oferecida nova denúncia pela prática de novos crimes e sete pessoas foram condenadas pela prática dos crimes de receptação qualificada e corrupção de menores. A maior pena foi fixada em 13 anos, oito meses e sete dias de reclusão em regime fechado. Somadas, as penas ultrapassam 57 anos de prisão. 

Ainda de acordo com o MPMG, em 2016, as fraudes em apólices de seguros causaram prejuízo de R$ 520 milhões.