A Vale tem até cinco dias, após intimação da Justiça, para comprovar que está cumprindo uma série de medidas emergências determinadas após o desastre de Brumadinho, que deixou pelo menos 180 mortos. A decisão é do juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias, Michel Curi, e foi comunicada nesta terça-feira (26). Em caso de descumprimento, a mineradora deverá pagar uma multa de R$ 1 milhão por dia.

Entre as medidas ordenadas pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) no dia 1º de fevereiro, está a elaboração de um relatório, por uma auditoria técnica independente, sobre a estabilidade das barragens Laranjeiras, em Barão de Cocais; Menezes II, em Brumadinho; Capitão do Mato e Dique B,em Nova Lima; Taquaras, no distrito de Macacos, em Nova Lima; e Forquilha 1, 2 e 3, em Ouro Preto.

Segundo a mineradora, essas estruturas “observam, rigorosamente, não apenas as normas legais vigentes, como, também, os parâmetros de segurança interno da empresa, complementar à própria lei, não havendo qualquer motivo que justifique a adoção das medidas gravíssimas e irrazoáveis e desmensuradas pretendidas pelo autor”.

A Vale foi procurada e informou que ainda não foi notificada da decisão da Justiça.

*Com informações do TJMG

Leia mais:
Juiz mantém bloqueio de R$ 1,6 bi da Vale por lama de Brumadinho
Famílias de desaparecidos em Brumadinho recorrem à Defensoria Pública para certidão de óbito
Número de mortos em Brumadinho sobe para 180; desaparecidos são 130